Home / Segurança Elétrica / Curto-circuito: quando acontece, o que fazer e como evitar

Curto-circuito: quando acontece, o que fazer e como evitar

Curto-circuito é um dos problemas mais comuns relacionados à instalação elétrica. Ele pode causar danos mais graves, como incêndios, acidentes domésticos e também perdas eletrônicas, que podem acabar gerando muitas despesas – sejam elas financeiras, ou através da perda de dados importantes, no caso de computadores e notebooks, por exemplo.

Desleixo e falta de cuidado com as instalações elétricas e com o modo que você utiliza os aparelhos no dia a dia, facilitam para que aconteçam acidentes e despesas inesperadas. Se você será o responsável pelos custos, caso um curto-circuito aconteça, e quer garantir a segurança da sua casa ou empresa, existem alguns sinais que alertam sobre esse risco. E principalmente, há várias ações simples que podem evitá-lo.

Mas afinal, o que é um curto-circuito? Pode ser um termo bastante usual, mas nem por isso as suas causas e consequências são bem conhecidas. Nesse post você vai entender o processo elétrico que leva ao curto-circuito, o que fazer nesses casos e como evitar para que isso aconteça na sua instalação  

O que é e quando acontece um curto-circuito

Um curto-circuito elétrico se dá através de uma elevada passagem de corrente elétrica, muito ou pouco acima do normal, dependendo da intensidade de energia. Será justamente esse aumento repentino da tensão no circuito elétrico que vai ocasionar essa falha. Isso faz com que os aparelhos ou instalações que estejam conectadas a esse circuito elétrico parem de funcionar instantaneamente.

Para saber também: circuito elétrico é o caminho da corrente elétrica. Basicamente formado por gerador, um condutor de energia e um elemento que vai utilizar essa energia.

Imagine a situação: você está preparado para receber certa quantidade de trabalho e finalizar em algumas horas. Até que essa quantia é quadruplicada, mas você tem ainda o mesmo tempo e capacidade para resolver. Assim como um curto-circuito, é muito provável que você não consiga dar conta, não é mesmo?

Mas e como esse circuito será sobrecarregado? Quando a corrente elétrica que passa pela tomada e chega ao aparelho é maior do que ele está preparado para suportar, esse excesso será transformado em calor e irá derreter o fio elétrico.  Assim, essa descarga elétrica pode danificar o circuito. Ligar muitos aparelhos na mesma tomada, fios desencapados e ligações não realizadas corretamente também podem ocasionar esse problema. Essas situações ocorrem na maioria das vezes por desatenção, falta de informação sobre o assunto e pela falta de manutenção na rede elétrica.

Aqui também é importante falar da função dos fusíveis e disjuntores. Eles são os responsáveis por proteger a instalação e os equipamentos conectados a ela, e por isso, podem evitar que um curto-circuito aconteça. Ao detectarem uma sobrecarga, eles interrompem a circulação de corrente elétrica, tentando evitar que algum problema aconteça no sistema. A diferença entre eles é que o fusível depois de queimado não tem como voltar a funcionar. Já o disjuntor pode ser ligado manualmente depois de ter sido desarmado.

Comprar produtos que tenham qualidade é muito importante, mas escolher o modelo mais adequado para a sua instalação, é melhor ainda. Um dos fatores que interferem nessa escolha será a potência dos equipamentos que precisam de eletricidade para funcionar. No entanto, não basta apenas ter bons disjuntores ou fusíveis, é preciso cuidar da instalação como um todo para evitar que um curto-circuito aconteça.

 

Disjuntor: o componente principal da segurança elétrica

curto-circuito

Como identificar e o que fazer depois do curto-circuito

É possível identificar se ocorreu um curto com base em sinais bem perceptíveis. Alguns deles são:

– Cheiro de queimado, principalmente se você não sabe identificar de onde está vindo;

 Tomadas manchadas de preto, aparentando estarem queimadas;

Lâmpadas com tempo de vida útil anormal, ou seja, queimando rápido demais;

 Queda de energia constante e sem motivos aparentes, ainda mais se você perceber que foi apenas em sua casa ou em alguns cômodos;

 Sobrecarga elétrica, ocasionando o desarmamento do disjuntor e a queima do fusível.

Depois de identificar a possibilidade de ter acontecido um curto-circuito, você precisa descobrir o ponto do circuito elétrico que está causando isso. É melhor fazer essa verificação logo em um primeiro momento, do que deixar acontecer mais de uma vez, dando a chance de acontecer um acidente grave. Por isso é importante também saber quais instalações e tomadas estão em cada circuito da sua casa.

No caso do fusível, reinstale, e no caso do disjuntor, ligue-o novamente. Procure pelos sinais citados e desconecte os equipamentos que você desconfia que ocasionaram o problema. Se o circuito elétrico voltar a funcionar, pode ser defeito em algum aparelho mesmo. Caso você não encontre evidências, pode ser problema no circuito que está recebendo muita corrente elétrica. Tente diminuir essa carga, desconectando aparelhos da tomada, por exemplo.

Tem chances ainda de o circuito voltar a funcionar e o fusível ou disjuntor falharem novamente. Nesse caso, o problema pode estar em algum aparelho que ainda está conectado, ou no próprio circuito elétrico. Quando o problema persiste, ou se você não se sente seguro para fazer essas verificações, o mais recomendado é chamar um eletricista para resolver! Não subestime uma ajuda profissional nessas horas!

Como evitar um curto-circuito

Melhor do que resolver um problema é saber como evitá-lo. Com algumas atitudes você pode deixar a sua casa ou trabalho mais seguros e adequados. Primeiramente, o mais recomendado é que você faça uma manutenção elétrica com um profissional, pelo menos a cada 5 anos. E quando perceber que os problemas e ajustes estão se acumulando, viabilize uma reforma elétrica!  

 

Reforma elétrica: 8 sinais que alertam que chegou a hora

 

Outros modos de prevenir um curto-circuito têm muito a ver com a atenção e o cuidado que você pode ter no dia a dia. Procure adequar a capacidade do sistema elétrico ao seu consumo de energia. Por isso, evite também a sobrecarga de aparelhos nas tomadas. Ligar diversos eletrônicos no mesmo ponto, não é uma boa alternativa! Apenas aumenta a chance de ocorrer um curto e de estragar seus equipamentos.

Cuide também com a fiação da sua instalação elétrica. Fios velhos, em má conservação ou já desencapados precisam ser trocados. Você pode também proteger as tomadas – além de ser um cuidado especial para as crianças, você evita que sejam conectados objetos inadequados, que não sejam o aparelho que você quer ligar.

Compre materiais de qualidade e que sejam os mais indicados para a sua instalação elétrica. Nesse caso, dê uma atenção maior ao escolher fusíveis ou disjuntores. Na loja online da Decorwatts você encontra vários modelos e marcas, além de muitos outros materiais elétricos. Aproveite essa facilidade, com qualidade no atendimento e agilidade na entrega!

 

Fotos: 1

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Leia também

luzes de emergência: como funcionam?

Luz de emergência: como funciona?

Mesmo não sendo um item comum no interior da sua casa, com certeza você já …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *